8 de maio de 2016

MARTÍN MOXA

MARTÍN MOXA [A 305]

Quen viu o mundo qual o eu ja vi
e viu as gentes que eran entón,
e viu aquestas que agora son,
Deus, quand'i cuida, que pode cuidar?
Ca me sin'eu, per min, quando cuid'i!
Por que me non vou algur esterrar,
se podería melhor mund'achar?

Mundo t.emos fals'e sen sabor,
mundo sen Deus e en que ben non ha,
e mundo tal que non corregerá,
ante o vejo sempr'empeorar.
Quand'est'eu cat'e vej'end'o melhor,
por que me non vou algur esterrar,
se podería melhor mund'achar?

U foi mesur', ou graãdez u jaz?
Verdad'u é? Quen ha amigo leal?
Que fui d'amor ou trobar por que fal?
A gent'é trist'e sol non quer cantar!
Quand'est'eu cat'e quanto mal s'i faz,
por que me non vou algur esterrar,
se podería melhor mund'achar?

Viv'eu en tal mund', e faz m'i viver
ua dona, que quero mui gran ben,
e muit'ha ja que m'en seu poder ten
ben de-lo temp'u soan amar.
Oimais, de min pode quen quer saber
por que me non vou algur esterrar,
se poderia melhor mund'achar.

Mais, en tal mundo, por que vai morar
home de prez, que s'én pod'alongar?

Ningún comentario:

Publicar un comentario