3 de xaneiro de 2016

JOÁN SOÁREZ COELHO

JOÁN SOÁREZ COELHO

Bon casament'é (pero sen gramilho
ena porta, de ferr') ua tendeira;
e direi-vos com'e de qual maneira:
pera ricome, que non pod'haver
filho nen filha, podé-l'-á fazer
con aquela que faz cada mes filho.

E de min vos dig', assí ben me venha,
se ricome foss'e grand'alg'houvesse
a quen leixar meu haver e mia herdade,
eu casaría, dig'a Deus verdade,
con aquela que cada mes emprenha.

E ben sería meu mal e meu dano,
per boa fe, e mia meos-ventura
e meu pecado grave sen mesura,
pois que eu con atal molher casasse,
se ua vez de min non emprenhasse,
pois emprenha doze vezes no ano.

Ningún comentario:

Publicar un comentario